Home Perguntas Frequentes Destaques Actualidades Denúncias Mundo Ecologia Vídeos Contatos

A DISCRIMINAÇÃO NO ACESSO AO TRABALHO FUNDAMENTADA NA APARÊNCIA fÍSICA




“A expressão mais bela e enriquecedora da vida humana é a sua diversidade. Uma diversidade que nunca pode servir para justificar a desigualdade. A repressão da diversidade empobrece a raça humana. É nosso dever facilitar e reforçar a diversidade a fim de chegar a um mundo mais equitativo para todos. Para que exista a igualdade, devemos evitar as normas que definem o que deve ser uma vida humana normal ou a forma normal de alcançar a felicidade. A única qualidade normal que pode existir entre os seres humanos é a própria vida"
                                                      Oscar Arrias (prémio Nobel da Paz)

De entre as formas mais subtís e insidiosas de discriminação encontra-se a discriminação alicerçada e fundamentada na aparência pessoal e no aspecto físico de uma pessoa.
É subtíl porque é subjectivamente alicerçada nas convicções pessoais de uma pessoa e  é insidiosa porque culpabiliza alguém por algo que involuntáriamente não escolheu.
Infelizmente o espectro da discriminação não se restringe  e nem se resume ás manifestações de carácter racial que têm por alvo aqueles que são étnicamente diferentes na sua origem.
De uma forma geral poder-se-ão caracterizar como discriminatórias todas aquelas atitudes em que em condições recíprocas de igualdade de circunstâncias alguém é privado do exercício de um direito seu em detrimento de alguém em função de qualquer distinção fundamentada em preceitos de cor da pele, origem étnica ou qualquer outra condição social.
Ou seja existe discriminação sempre que alguém seja impedido de usufruir de um direito ou serviço numa situação em que qualquer outro em idênticas condições o faria.
O preconceito baseado na aparência física como alguém disse é e aparenta sê-lo, talvez única de discriminação tolerável infelizmente , na sociedade.
Alcunhas e até brincadeiras poderão ser levados e entendidos como brincadeiras até certo ponto e num plano pessoal privado, mas deixam de sê-lo e tornando-se um problema sério quando chegam mesmo ao ponto de implicar e sugerir a exclusão social de alguém.
Infelizmente o mesmo fenómeno acontece no mundo do trabalho implicando a exclusão bem como do impedimento de alguém de aceder ao mercado de trabalho em condições de paridade em detrimento das habilitações que tem.

1 comentário:

fatima silva disse...

pois entao achei o blog e com toda certeza vou seguilo,pois estou com 57 anos e encontro muita dificuldades em encontrar trabalho,como aux.de limpeza ou repositora de mercado,motivo?a idade,pois acham que com essa idade sou alguma ancia,ja nao aguento muita coisa,ledo engano pois sou uma pessoa ativa e competente,no BRASIL diferentemente de varios paises da europa,na ha muitos insentivos para essa area,ha sim para aposentados muitos grupos de lazer,mas e para quem esta na ativa nao.um abraço.

Enviar um comentário