Home Perguntas Frequentes Destaques Actualidades Denúncias Mundo Ecologia Vídeos Contatos

Ignorância em Portugal isola e despede seropositivos e doentes de cancro

Foi com alguma apreensão, alguma inquietação e que hoje à tarde, ao ver o programa da TVI "As tardes da Júlia "apresentado pela conhecida apresentadora Júlia Pinheiro tomei conhecimento de um caso da vida real , contado pela própria protagonista, mãe e doente oncológica afectada por um cancro na faringe, em que a entrevistada dava a conhecer o facto de ter sido despedida da empresa em que trabalhava, "com justa causa"(segundo a entidade patronal) com a desculpa (inconsistente de que ela padecia de uma doença contagiosa).
A mesma senhora contou que se dirigiu a uma instituição de solidariedade onde lhe foi dito que "o cancro não mata ninguém" , ao que lhe foi acrescentado que "fosse trabalhar que tinha saúde para isso".
Não deixa de ser ( para além da cruel) de uma monumental demonstração de ignorância que ainda hoje , já dez anos entrados neste século XXI,(tendo deixado para trás um século XX pródigo em exemplos de intolerância , em Portugal ainda se continue a estigmatizar a doença em detrimento da vida humana,do sofrimento e da disponibilidade de conhecimentos existentes.
A sociedade portuguesa parece ainda continuar a alimentar-se de esterótipos , de imagens feitas e a discriminar os doentes crónicos tal como as sociedades medievas de outrora o faziam com os loucos (que eram norma geral trancados) e os leprosos que eram confinados a leprosarias.
Há já não muito tempo atrás uma outra estação de televisão reportou o despedimento de um locutor de rádio por este padecer de uma doença oncológica grave, tendo esse despedimento também sido alicerçado no pressuposto de "justa causa".
O Cancro como muitas pessoas sabem é uma doença degenerativa das células e como muita gente sabe (bem nem toda a gente...) não é uma doença infecto-contagiosa...
No que se refere aos doentes oncológicos este tipo de casos embora frequentes são pouco divulgados, não deixando contudo de ser chocantes.
No que toca à Sida e às infecções pelo HIV a sociedade continua a discriminar de igual modo os doentes seropositivos e uma grande parte dos trabalhadores seropositivos acaba por perder o emprego depois da entidade patronal tomar conhecimento da doença.
Nos últimos anos têm vindo a lume enormes manifestações de ignorância tal como o caso de um cozinheiro que foi despedido por estar infectado com o HIV ou o de uma criança que nasceu seropositiva e tentaram expulsá-la da escola.
Segundo a notícia públicada na versão digital do Jornal Público do dia 4 de Fevereiro deste ano de 2010 aquando da conferência sobre "Transmissão do VIH - Ciência, Direito e Discriminação":
"Um grupo de apoio a doentes com sida alertou hoje que quase todos os trabalhadores seropositivos que lhe pede ajuda acabam por perder o emprego quando a empresa sabe da doença, problema que se acentua com a crise económica.
"Recebemos muitas queixas, sabemos que, sistematicamente, as pessoas seropositivas não são aceites para trabalhar ou não vêem renovados os contratos", afirmou Luís Mendão, do Grupo Português de Activistas sobre Tratamentos de VIH/sida, lembrando que "a maioria dos seropositivos é pobre e trabalha precariamente".
O Grupo Português de Activistas sobre Tratamentos de VIH/sida denuncia também discriminação noutros locais O Grupo Português de Activistas sobre Tratamentos de VIH/sida denuncia também discriminação noutros locais (Marko Djurica/Reuters (arquivo))
"Nós sabemos que 99 por cento dos que têm teste positivo não vêem renovado o contrato", acrescentou, em declarações aos jornalistas, à margem da conferência sobre "Transmissão do VIH - Ciência, Direito e Discriminação", que decorre hoje em Lisboa.
No entanto, sublinhou, a discriminação vai além do local de trabalho, dando o exemplo de "uma mulher que precisava de retirar um aparelho de prevenção de gravidez, mas o seu centro de saúde recusa fazer isso porque não tem condições de esterilidade suficientes".
Por seu lado, o representante do Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT), Jorge Torgal, alertou que a actual crise económica pode levar ao aumento da discriminação laboral dos seropositivos.
"Aqueles que têm contratos a prazo são os primeiros a ser despedidos e aqueles que têm dificuldades em obter apoios sociais devido às suas debilidades de saúde vão ter ainda mais dificuldades", afirmou.
Já a representante da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em Portugal, Albertina Jordão, defendeu uma mudança de atitude por parte dos empregadores.
"Quando as pessoas estão doentes, obviamente que isso vai afectar a produtividade e vai ter um impacto económico e social", mas cabe às "entidades empregadoras verem a sida como uma doença crónica como outra porque uma pessoa que vive com sida pode trabalhar e ter uma vida regular", sublinhou.
No encontro, organizado pelo GADS - Grupo de Apoio e Desafio à Sida, o director-geral da Saúde, Francisco George, defendeu que "não havendo riscos de transmissão na vida social, não há motivo nenhum para haver discriminação" dos seropositivos.
"Ainda recentemente a um médico cirurgião foi-lhe detectado, num conjunto das análises que fez no âmbito da Medicina do Trabalho, que tinha essa infecção. Colocaram-nos a questão de saber se ele podia ou não exercer medicina e, naturalmente, ele pode, uma vez que não há riscos de transmitir essa infecção a outros doentes", afirmou.
A conferência sobre "Transmissão do VIH - Ciência, Direito e Discriminação" vai abordar, ao longo do dia, o conhecimento científico, o Direito e a discriminação laboral e social associada à doença. No final será aprovada uma declaração de compromisso e de acção futura de combate à discriminação."
Infelizmente apesar de todas as campanhas de sensibilização a alertar e a conscializar as sociedade sobre a SIDA ainda há o estigma prevalecente de que se trata de uma doença epidémica de alto contágio e muitas pessoas continuam a ignorar que os doentes seropositivos são apenas pessoas que possuem no seu sistema imunológico a presença do agente infeccioso que transmite a SIDA, ou seja traduzindo uma pessoa serpositiva é apenas uma pessoa que possui no seu sistema imunitário o vírus da SIDA.
Ser seropositivo é apenas estar infectado com o vírus da SIDA e não é exactamente o mesmo que ter SIDA.
Diz-se que um indíviduo tem SIDA quando começa a manifestar os sintomas da doença.
Ou seja, um individuo seropositivo está infectado com o vírus da SIDA mas ele não se manifesta, e com tratamento adequado poderá nunca se manifestar.
Quando um indivíduo é seropositivo poderá infectar outras pessoas o que não implica que desenvolva a doença.
Uma pessoa infectada pode alojar o vírus no organismo durante muitos anos e no entanto nunca vir a manifestar os sintomas da doença.
Havendo a necessidade de informar, poderá ser também de algum interesse adicional propiciar a resposta a algumas questãoes frequentes e de alguma forma pertinentes relacionadas com a SIDA e a infecção por HIV.
Para começar é importante frisar que a SIDA se transmite primáriamente através do contacto com fluídos infectados (sangue,sémen,ex) ou através de relações sexuais não protegidas e não através do contacto corporal (tocar numa pessoa, apertar a mão), através de beijos,abraços de contactos ou de contactos com o vestuáriopor exemplo).
Exactamente o que é a SIDA?
De acordo com um questionário da farmaceutica Roche que passo a transcrever sobre o assunto para maior rigôr informativo:
SIDA significa Síndrome da Imunodeficiência Humana Adquirida. É um conjunto de sinais e sintomas bem definidos que podem surgir em indivíduos com a infecção pelo VIH.
O VIH é o nome do vírus ou vírus da Imuno-deficiência Humana , o agente patológico responsavel pela infecção.
Desde o momento em que se adquire a infecção até que surjam sintomas de doença decorre um período de tempo, designado como fase assintomática da infecção pelo VIH, (que pode durar em média 8 a 10 anos) em que a pessoa infectada não tem qualquer sintoma e se sente bem.
A pogressão da doença poderá manifestar-se em duas fases distintas:
Fase seropositiva:

Nesta fase a infecção pode ser detectada apenas se se efectuarem as análises específicas para o VIH. Esta é a fase da doença em que se diz que o indivíduo é seropositivo.
Fase da SIDA na qual a infecção progride para a doença:
Na evolução da infecção pelo VIH verifica-se uma destruição progressiva do sistema de defesa do organismo humano (o sistema imunológico) com estabelecimento de um estado de imunodepressão que permite o aparecimento de infecções oportunistas e determinados tipos de tumores. Quando uma pessoa infectada pelo VIH tem uma destas infecções oportunistas ou tumores passa a dizer-se que já tem SIDA.
Quer um seropositivo, quer um indivíduo com SIDA podem transmitir a infecção a outras pessoas através de comportamentos de risco.
Pode estar-se sempre no estado de seropositividade sem passar a sida?
Sem tratamento específico para o VIH (com os medicamentos anti-retrovíricos) todos os infectados com o vírus virão a ter SIDA mais cedo ou mais tarde. Desde o momento em que a pessoa adquire a infecção até entrar no estadio de SIDA decorre um período de tempo que é, em média, de 8 a 10 anos. Com o tratamento actualmente disponível, é possível modificar a história natural desta infecção, aumentando a duração do período assintomático da doença e prevenindo o aparecimento das infecções e tumores que definem a fase de SIDA. Para que isto seja possível, é fundamental que todo o indivíduo seropositivo tenha um acompanhamento médico periódico adequado.
Quem tem um teste positivo tem sida?
Ter um teste positivo para o VIH significa que se tem a infecção por este vírus. Quando uma pessoa com o teste positivo já teve ou tem determinadas manifestações oportunistas – infecções e/ou tumores – então, já tem SIDA. SIDA significa Síndrome da Imunodeficiência Humana Adquirida. É um conjunto de sinais e sintomas bem definidos que surgem em indivíduos com a infecção pelo VIH.
Diferenças entre VIH-1 e VIH-2 (VIH1 e VIH2 , HIV1 e HIV2)
Ambos são vírus da Imunodeficiência Humana, capazes de provocar a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida e com formas de contágio similares. As diferenças mais importantes entre eles são:
 O VIH-1 é mais “agressivo”, sendo mais rápido na destruição do sistema de defesa do organismo humano – o sistema imunológico. A evolução da doença é mais rápida nos doentes com VIH-1, comparativamente aos doentes com VIH-2. O período assintomático de infecção é, em média, de 10 anos para o VIH-1 e de 30 anos para o VIH-2.
O VIH-1 transmite-se mais facilmente, ou seja, o contágio de pessoa a pessoa é mais provável do que para o VIH-2.
 No Mundo, existem muito mais pessoas infectadas pelo VIH-1 do que pelo VIH-2
 O VIH-1 responde melhor e de forma mais previsível aos medicamentos anti-retrovíricos. Alguns dos medicamentos disponíveis são eficazes contra o VIH-1 mas não contra o VIH-2
Quais os sintomas do VIH?
Quando se adquire a infecção pelo VIH pode não se ter qualquer sintoma ou, então, ter um quadro febril tipo gripal. Em seguida, o doente fica sem sintomas durante um período variável que pode ser de anos, em média de 8 a 10 anos, sentindo-se bem. Nesta fase, como em todas as fases da infecção, existe possibilidade de transmissão da doença a outras pessoas.
Após este período assintomático, surge a fase sintomática da infecção em que o doente começa a ter sintomas e sinais de doença, indicativos da existência de uma diminuição das defesas do organismo. O doente pode referir cansaço não habitual, perda de peso, suores nocturnos, falta de apetite, diarreia, queda de cabelo, pele seca e descamativa, entre outros sintomas. Podem surgir algumas manifestações oportunistas como a candidose oral (infecção da boca por fungos), candidoses vaginais de repetição, um episódio de herpes zoster (“zona”), episódios de herpes simples de repetição (oral ou genital), etc. Mais tarde podem surgir infecções graves, como tuberculose, pneumonia, meningite, entre outras manifestações oportunistas possíveis e indicadoras de uma grave imunodepressão (diminuição acentuada das defesas do organismo humano).
Quantos anos de vida tem uma pessoa seropositiva?
É muito variável. A evolução da infecção não é igual em todas as pessoas. Desde o momento em que se adquire a infecção até que surjam sintomas de doença decorre um período de tempo, designado como fase assintomática da infecção pelo VIH, que pode durar em média 8 a 10 anos. No entanto, nalgumas pessoas este período pode ser apenas de dois ou três anos e noutras de 15 ou 20 anos.
Após o aparecimento de uma infecção oportunista, ou seja, após se entrar na fase de SIDA, o tempo médio de sobrevida é de cerca de um ano e meio, na ausência de tratamento anti-retrovírico.
No entanto, com os medicamentos actualmente disponíveis para o tratamento desta infecção a sobrevida dos doentes pode ser muito mais longa desde que se cumpra rigorosamente o tratamento e as restantes indicações médicas. Actualmente existem algumas pessoas que vivem com esta infecção há mais de 20 anos.
Porque existem pessoas que têm logo necessidade de tomar medicação e outras não?
Depende do momento em que é feito o diagnóstico da infecção e dos valores das análises, nomeadamente, do número de linfócitos CD4 (ou T4) e do grau de replicação e crescimento do vírus em cada doente. Os linfócitos CD4 são as células alvo do vírus e vão sendo destruídas à medida que a infecção avança. Estas células são fundamentais para que o sistema de defesa do organismo funcione bem. Quanto mais baixo o seu valor menores as defesas do organismo e mais avançado o grau da infecção. O grau de replicação e crescimento do vírus é-nos dado pelo valor da carga vírica (ou viral) que é a quantidade de vírus existente no sangue do doente. Quanto mais elevado o seu valor, maior a replicação do vírus e mais rápida a evolução da doença.
Num indivíduo assintomático, a indicação para início do tratamento depende do número de linfócitos CD4 e do valor plasmático da carga vírica. As pessoas com sintomas ou que já tiveram uma infecção oportunista têm indicação para iniciar o tratamento, independentemente do valor dos linfócitos CD4 e da carga vírica.
Qual o período de janela?
O período de janela é o período que decorre entre o momento em que se adquiriu a infecção e o momento em que os testes para o VIH, que pesquisam as proteínas formadas pelo organismo humano em resposta à infecção (os anticorpos), são positivos. Este período é, em média, de 4 a 6 semanas. No entanto, algumas pessoas podem ter uma resposta mais lenta à infecção, com formação mais lenta de anticorpos, o que significa que o diagnóstico da infecção através destes testes será mais tardio e, portanto, o período de janela mais longo. Com os testes actualmente disponíveis para o diagnóstico desta infecção, na maioria dos casos, o diagnóstico é possível entre a 3ª semana e o 3º mês após o contágio.
Diferenças entre os testes de ELISA e Western-blot.
Ambos detectam os anticorpos específicos produzidos pelo hospedeiro como resposta à infecção vírica. Os anticorpos específicos para as proteínas do VIH produzem-se algumas semanas após a infecção. Os testes actualmente disponíveis podem detectar a infecção cerca de 3 semanas após o contágio.
O teste ELISA é um teste de rastreio, de fácil e rápida execução. É muito sensível e específico para o diagnóstico da infecção pelo VIH. Qualquer teste ELISA positivo deve ser confirmado por um teste de Western-blot que é um teste que confirma definitivamente a infecção. São necessários dois testes ELISA reactivos para realizar o teste de Western blot.
Enquanto o teste ELISA detecta os anticorpos contra proteínas específicas do VIH de forma global, o teste de Western-blot detecta-os individualmente. A execução de um teste de Western-blot é mais demorada e tecnicamente mais complicada o que justifica que só seja utilizado para confirmar um teste de ELISA positivo.

Se o resultado do meu teste for positivo significa que o meu parceiro também está infectado? se eu tiver um resultado negativo o meu parceiro também terá?
Não existe uma correlação directa entre os resultados dos testes para o VIH de dois parceiros sexuais. O companheiro de uma pessoa com um teste positivo pode ter um teste positivo ou negativo. Também o companheiro de alguém cujo teste seja negativo, pode ter um teste positivo ou negativo. A resposta definitiva só poderá ser dada pelo resultado das análises.
De que forma se transmite a infecção da mulher para o homem durante as relações sexuais?
As secreções vaginais contêm vírus. O contacto do pénis, nomeadamente da glande, com estas secreções infectadas, durante a relação sexual, é a forma de transmissão da infecção da mulher infectada para o homem.
As mulheres têm maior probabilidade de adquirir a infecção do que os homens durante as relações sexuais vaginais?
Sim. Durante a relação sexual existe sempre um certo grau de traumatismo e aumento da irrigação sanguínea local. A área de exposição às secreções infectadas na mulher é maior do que no homem (a área da mucosa da vagina é superior à área da glande do pénis). Por outro lado, a quantidade de vírus que existe no sémen resultante de uma ejaculação é superior à quantidade de vírus existente nas secreções vaginais durante uma relação sexual.
Se tiver uma única situação de risco com uma pessoa seropositiva fico logo infectado? Porque existem pessoas que não ficam infectadas depois de terem contactos de risco com seropositivos?
Uma única situação de comportamento de risco com uma pessoa seropositiva não é indicativa de ocorrência de infecção. Pode ou não acontecer e é impossível determinar quando e se vai acontecer.
Existem algumas pessoas que são naturalmente resistentes à infecção por não possuírem receptores para o vírus. Nas células CD4 existem proteínas às quais o vírus se tem que ligar para poder entrar na célula. Muito raramente, pode acontecer que essas proteínas sejam diferentes das normais, sendo que, neste caso, o vírus não consegue ligar-se a elas nem entrar nas células, e, portanto, a infecção não acontece.
Duas pessoas seropositivas podem deixar de usar preservativo?
O uso de preservativo é essencial mesmo quando as duas pessoas são seropositivas. Se não usarem preservativo, de cada vez que tiverem uma relação sexual estão a reinfectar-se mutuamente o que pode piorar ou acelerar a evolução da doença de cada um.
Por outro lado, os vírus de cada um podem ser diferentes, nomeadamente no que diz respeito à sensibilidade e resistência aos medicamentos anti-retrovíricos. Não utilizando preservativo, corre-se o risco de adquirir um vírus com resistência aos anti-retrovíricos e comprometer, assim, o sucesso do tratamento.
Porque é que o sexo anal envolve maior risco de contágio?
Durante uma relação sexual anal existe um maior grau de traumatismo do que durante uma relação sexual vaginal. Existe maior probabilidade de ocorrência de pequeníssimas lesões (feridas) na mucosa anal que facilitam o contágio e ocorrência de infecção.
Sexo oral é uma forma de contágio e porquê?
A quantidade de vírus existente na saliva é pouco significativa. Não existe risco de aquisição da infecção através do beijo. No entanto quando a saliva está contaminada com sangue e existe contacto desta saliva com a mucosa genital, existe uma probabilidade, ainda que pequena de contágio. Se existir contacto da mucosa da boca com secreções vaginais ou sémen infectados, também existe probabilidade de infecção.
Ao ter relações com o meu / minha companheiro(a) seropositivo o preservativo rompe. O que posso e devo fazer?
Penso que todo o indivíduo seropositivo que tem um parceiro seronegativo deve discutir este assunto com o seu médico antes da ocorrência de um episódio deste tipo. Actualmente existe indicação para se fazer uma profilaxia pós-exposição, ou seja, uma prevenção da infecção, com utilização de medicamentos em situações deste tipo. Não existe certeza absoluta quanto à eficácia desta medida de prevenção. No entanto, quando existe indicação para a tomar, isso deve fazer-se o mais cedo possível após a ocorrência do acidente. Assim, é aconselhável procurarem ambos o médico que segue a pessoa seropositiva a fim de serem tomadas as medidas mais adequadas a cada situação."
Para finalizar é importante que a socieadade seja educada no sentido da tolerância pois manifestações de ignorância em relação às doenças em geral já não são admissíveis.
Este texto procurou esclarecer algumas dúvidas sobre a seropositividade desmistificando alguns conceitos, e esperando ter sido de alguma utilidade para a compreesnsão e maior aceitação do individuo seropositivo e do doente em geral.
A doença qualquer que seja, crónica, contagiosa não é uma questão de escolha individual....e qualquer um de nós é susceptível de adoecer.....acontece a todos!
(As respostas foram elaboradas pelo Médico Responsável pela área VIH da Roche. Para mais informações por favor consulte o seu médico assistente ou um dos Centros de Aconselhamento e Detecção VIH/SIDA.Para examinar todo o conjunto de perguntas mais frequentes sobre todo o tópico da Sida e dos seus meios de transmissão  clique neste link)

7 comentários:

Happy Davison disse...

Meu nome é feliz, dos EUA, eu quero testemunhar de como eu tenho curado de HIV AIDS. Eu tenho vivido com esta doença mortal para o passado 11 meses, eu fiz tudo o que posso para curar esta doença, mas todos os meus esforços foram abortiva até que eu encontrei um velho amigo meu que me contou sobre um Herbalist Afircan que usam ervas e raízes para curar todo o tipo de doenças, embora eu nunca acreditei que ele pode curar o HIV, mas eu decidi dar-lhe uma tentativa, quando entrei em contato com ele, ele me ajudou a expulsar o vírus do meu corpo, baixa e eis que, quando eu fui para um check-up i foi-me dito que eu sou negativo. Contacte esta grande Herbalist através deste e-mail okonofuatem99@gmail.com e okonofua_solution_tem99@hotmail.com ou você pode entrar em contato comigo para obter mais brilho me add no facebook happyaa4@gmail.com.

Ones agradecer novamente a você doutor Paul Emen i vai manter testemunhando sobre você por salvar minha vida.

Happy Davison disse...

Meu nome é feliz, dos EUA, eu quero testemunhar de como eu tenho curado de HIV AIDS. Eu tenho vivido com esta doença mortal para o passado 11 meses, eu fiz tudo o que posso para curar esta doença, mas todos os meus esforços foram abortiva até que eu encontrei um velho amigo meu que me contou sobre um Herbalist Afircan que usam ervas e raízes para curar todo o tipo de doenças, embora eu nunca acreditei que ele pode curar o HIV, mas eu decidi dar-lhe uma tentativa, quando entrei em contato com ele, ele me ajudou a expulsar o vírus do meu corpo, baixa e eis que, quando eu fui para um check-up i foi-me dito que eu sou negativo. Contacte esta grande Herbalist através deste e-mail okonofuatem99@gmail.com e okonofua_solution_tem99@hotmail.com ou você pode entrar em contato comigo para obter mais brilho me add no facebook happyaa4@gmail.com.

Ones agradecer novamente a você doutor Paul Emen i vai manter testemunhando sobre você por salvar minha vida.

Jabulani Sibiya disse...

A felicidade é tudo que eu vejo agora eu nunca pensei que eu vou viver na Terra antes do ano acabar. Eu tenho sido vítima de uma doença mortal (HIV) nos últimos 3 anos; Eu tinha passado um monte de dinheiro indo de um lugar para outro, de igrejas para as igrejas, os hospitais têm sido a minha casa a cada residência dia. verificações constantes até ter sido meu hobby não até hoje fiel, eu estava procurando através da linha, eu vi um testemunho de como DR. Boadi ajudou alguém na cura de sua doença HIV, rapidamente eu copiei o seu e-mail que é, drboadiherbalcentre@yahoo.com apenas para dar-lhe um teste que falei com ele, ele me pediu para fazer algumas certas coisas que eu fiz, ele me disse que ele vai fornecer a cura de ervas para mim, o que ele fez, então ele me pediu para ir para exame médico depois de alguns dias após o uso do remédio herbal, eu estava livre da doença mortal, ele só me pediu para deixar o testemunho através do mundo inteiro, fielmente estou fazendo isso agora, por favor irmãos e irmãs, ele é grande, eu devo a ele em troca. visite seu site:www.drboadiherbalcentre.webs.com se você está tendo um problema semelhante apenas e-mail ele em, (drboadiherbalcentre@yahoo.com ou WhatsApp número: 2348156769001

Jabulani Sibiya disse...

A felicidade é tudo que eu vejo agora eu nunca pensei que eu vou viver na Terra antes do ano acabar. Eu tenho sido vítima de uma doença mortal (HIV) nos últimos 3 anos; Eu tinha passado um monte de dinheiro indo de um lugar para outro, de igrejas para as igrejas, os hospitais têm sido a minha casa a cada residência dia. verificações constantes até ter sido meu hobby não até hoje fiel, eu estava procurando através da linha, eu vi um testemunho de como DR. Boadi ajudou alguém na cura de sua doença HIV, rapidamente eu copiei o seu e-mail que é, drboadiherbalcentre@yahoo.com apenas para dar-lhe um teste que falei com ele, ele me pediu para fazer algumas certas coisas que eu fiz, ele me disse que ele vai fornecer a cura de ervas para mim, o que ele fez, então ele me pediu para ir para exame médico depois de alguns dias após o uso do remédio herbal, eu estava livre da doença mortal, ele só me pediu para deixar o testemunho através do mundo inteiro, fielmente estou fazendo isso agora, por favor irmãos e irmãs, ele é grande, eu devo a ele em troca. visite seu site:www.drboadiherbalcentre.webs.com se você está tendo um problema semelhante apenas e-mail ele em, (drboadiherbalcentre@yahoo.com ou WhatsApp número: +2348156769001

matt disse...

Olá eu sou Sonia Stevens pelo nome, eu estou dando um testemunho sobre o Dr. Ben grande Herbalist, ele tem a cura para todos os tipos de doenças, ele curou minha doença do HIV, embora eu passei site diferente vi diferentes testemunhos sobre diferentes herbalists, eu era como: "Muitas pessoas têm a cura de HIV por que as pessoas ainda sofrem com isso" Eu embora dele, então eu entre em contato com o Dr. Ben via e-mail, eu não acreditava nele que muito, eu só queria dar-lhe uma tentativa, ele respondeu meu e-mail e precisava de algumas informações sobre mim, então eu enviei para ele, ele preparou a CURA e enviá-lo para mim via serviço de correio UPS, eles me disseram que vai demorar 3-4 dias antes de eu vai receber o pacote, 3 dias depois, recebi o pacote e eu comecei a tomar o medicamento como prescrito por ele, após 7 dias de tomar o medicamento, fui para o check-up, I foi testado HIV negativos ... Eu vou PARA AJUDAR ALGUÉM QUE FALE-lhe ajuda, se você é sério você será curado !!! Ele também pode curar todos os tipos de doenças como hypertities B, Diabities, Herpes.etc. contactá-lo via: drbenharbalhome@gmail.com ou whatsapp 2348144631509. Você também pode alcançar-me no e-mail: soniastevens1995@gmail.com

SUSAN LUTHER disse...

Am Susan, Dr. Ekpiku herbal medicine is a good remedy for herpes , I was a carrier of herpes and I saw a testimony on how Dr. Ekpiku cure herpes, I decided to contact him, I contacted him and he guided me. I asked him for solutions and he started the remedies for my health. After he finish he sent me the herbs which i took for 10 days before going for a check up and getting there i could not believe that i was confirm herpes negative after the test,Today i am so happy because i'm free from herpes disease with the help of Dr. Ekpiku Thank God now everything is fine, I'm cured by Dr. Ekpiku herbal medicine, I'm very thankful to God for making it possible you can reach him on his email i strongly recommend him to any one out here looking for a cure ekpikuspelhomeofgrace@gmail.com or ekpikuspelhomeofgrace@hotmail.com call him +2348073673757) THESE ARE THE THINGS Dr. Ekpiku. . HERPES . HIV/AIDS .CANCER. ANTHRAX .COPD....

Jeff Chandler disse...

DEVE LER: COMO EU TIVE CURADO DE MEU VIRUS DO HIV)

  Olá, meu nome é Jeff Chandler, fui diagnosticado de HIV e tentei todos os meios possíveis para obter a cura, mas tudo em vão, até que eu vi um post em um fórum de saúde sobre um médico de ervas da África Ocidental (Dr AGEGE), que Preparar remédios à base de plantas para curar todo o tipo de doenças, incluindo vírus de herpes, no início eu duvidei se era real, mas decidi tentar dar-lhe uma tentativa, quando eu entrar em contato com este médico herbal através de seu e-mail, ele preparou um remédio herbal e enviou- Quando recebi esta medicina à base de plantas, ele me deu instruções passo a passo sobre como aplicá-lo, quando eu apliquei como instruído, eu estava curado do vírus HIV mortal dentro de uma semana de uso agora estou livre do vírus, fui experimentado negativo. Ele também pode curar qualquer tipo de doença e pode trazer de volta o seu parceiro Ex para você, você deve entrar em contato com este grande médico herbal através de seu e-mail (dragegespellalter@yahoo.com) ou ligue ou whatsapp ele com o seu número +2349036492096, quando você entrar em contato Ele, certifique-se de dizer-lhe que eu refrenced você, estou feliz ele salvar a minha vida

Enviar um comentário