Home Perguntas Frequentes Destaques Actualidades Denúncias Mundo Ecologia Vídeos Contatos

Activistas do movimento feminista FEMEN marcaram presença no 19ºaniversário da Ucrânia

Hoje dia 25 de Agosto assinalaram-se em Kiev, na Ucrânia os 19 anos da independência daquele país.
As comemorações do 19ºaniversário da independência nacional da Ucrânia ficaram também assinaladas pela presença de activistas do movimento FEMEN que procura defender naquele país os direitos das mulheres e procura lutar contra o turismo sexual, a escravatura sexual e alguns outros males sociais.
"Assim, "desinibidas", foi como algumas activistas da Organização dos Direitos das Mulheres (FEMEN) celebraram o 19.º aniversário da independência da Ucrânia, ontem em Kiev.
Com as frases "eu sou independente!" ou "Ucrânia sou eu", pintadas no corpo, as activistas queriam simbolizar a liberdade real do país, que viveu décadas sob a dominação soviética.
A atitude acabou sendo mal interpretada pela polícia que prendeu algumas activistas.
 Outros ucranianos preferiram assinalar a data mostrando o seu apoio à candidata da oposição, Yulia Tymoshenko, enquanto o Presidente pró-russo, Victor Ianukovitch, em discurso, defendeu a entrada da Ucrânia na UE."
(ver notícia original no sítio do DN-Globo clicando nesta ligação)
Quem são as FEMEN
As FEMEN são um movimento social composto na sua maior parte por mulheres, (integram-no alguns homens também) e que tem chamado já em ocasiões anteriores chamado a atenção internacional por as activistas se manifestarem em topless contra a prostituição e contra o turismo sexual.
Alguns dos objectivos deste movimento são desenvolver as capacidades intelectuais, morais e de liderança nas jovens ucranianas, e desenvolver a imagem da Ucrânia como um país onde existam oportunidades para as mulheres.
O movimento FEMEN foi fundado em 2008 por Hanna Hutsol (nascida em 1983) depois de ela ter ficado aturdida com as histórias de muitas mulheres ucranianas que têm sido atraídas para países estrangeiros com falsas promessas de trabalho, e que acabam por se tornarem vítimas do tráfico e escravatura sexual.
"Criei este movimento porque compreendí que havia falta de activistas femininas na nossa sociedade.
A Ucrânia é uma sociedade dominada pelos homens e na qual as mulheres têm um papel passivo".
Desde então a organização tem protagonizado bastantes manifestações "sexualmente apimentadas" em Kiev, junto dos gabinetes ministeriais e junto da embaixada turca em Kiev.
A senhora Hutsol, é veementemente contra a legalização da prostituição na Ucrânia e a FEMEN (que já integra perto de 15 mil jovens, sobretudo mulheres) propôs a introdução de leis na Ucrânia que criminalizem a indústria do sexo em Maio último.
A FEMEN justifica os seus métodos provocativos alegando "que este é o único meio de se ser ouvido neste país.
Esta forma de protesto é também uma forma de irónicamente alertar para muitas das incongruências de uma sociedade que continua a relegar os seus cidadãos do sexo feminino atribuindo-lhes um papel secundário.
"Se encenássemos os protestos tradicionais com bandeiras, os nossos protestos passariam despercebidos."
Partido Político
A organização tem a médio e longo prazo tornar-se um partido político e concorrer a alguns assentos na próxima jornada eleitoral para o parlamento ucraniano e também o de tornar-se um dos maiores movimentos feministas europeus.
Links Relacionados
Site oficial das FEMEN
FEMEN na wikipedia (em inglês)

4 comentários:

Anónimo disse...

Umas senhoras de se lhes tirar o chapéu, não só pela beleza mas pela garra e pela atitude e exemplo que demonstram e ducando e sensibilizando a sociedade do seu país, alertando tanto a homens e mulheres para o respeito e dignidade das pessoas das mulheres.
A senhora Anna Hutsol dá um bom exemplo ao incentivar muitas mulheres ao respeito próprio...A forma suis generis como encenam as suas campanhas não deixa de ter um papel didático importante...ás vezes é mesmo necessário fazer um desenho para que as pessoas pensem....

Anónimo disse...

Haaahaha Barill

Beto disse...

usar a nudez como ferramenta de protesto é usado a miude em outras ONGs. esta deve ser a primeira que usa ostensivamente.
muito louvavel essa artimanha, pois usa a forma como a sociedade vê a nudez como uma forma da sociedade repensar/rever/reformar suas convenções.

SERGIODAUDE disse...

..O que me parece verdadeiramente original lol

Enviar um comentário