Home Perguntas Frequentes Destaques Actualidades Denúncias Mundo Ecologia Vídeos Contatos

Os casamentos de meninas em Gaza. História de uma mentira deslavada...

Há já quase cerca de meio ano que a comunidade internauta se tem chocado ante os rumores de que na Faixa de Gaza, governada pelo Hamas este grupo islâmico teria realizado um casamento massivo de 400 rapariguitas de 9 e10 anos de idade, tendo aquelas casado com homens muito mais velhos, na casa dos trinta anos.
O conhecimento daqueles casamentos, que os médias e muitos blogs rotularam na altura de pedófilos tieve  origem numa notícia do jornal New York Times, que apenas noticiou o casamento massivo na Faixa de Gaza e que referenciava as referidas raparigas como sendo de facto damas-de-honor que participavam do casamento.
Segundo se podia ler inclusive no cabeçalho da notícia públicada em 30 de Outubro de 2008, naquele jornal norte americano:
 "Para as viúvas de Guerra o Hamas recruta um exército de novos maridos".
A notícia é até suficientemente clara indicando na legenda da foto aposta ao cabeçalho:
"Com os noivos à esquerda, crianças dançam no estádio de Gaza este mês, durante a celebração de um casamento em massa organizado pelo Hamas, para 300 casais, o décimo evento deste tipo organizado este ano."
A notícia segue:
"Os noivos estavam resplandecentes com as suas camisas brancas, enquanto as noivas trajavam de negro.
As noivas poderão ser vistas na foto abaixo, são as mulheres vestidas de negro e que estão perfeitamente destacadas das demais.
No Estádio desportivo de Gaza, 300 casais recém-casados juntamente com os seus familiares e amigos juntaram-se para um casamento em massa, o décimo realizado este ano por cortesia do Hamas.
O Hamas o grupo militante Islamita que tem estado a observar uma trégua com Israel desde Junho, permitindo que os seus combatentes clandestinos ressurjam, mas deixando-os sem muito para fazer.
Ao mesmo tempo centenas das mulheres do grupo enviúvaram recentemente, tendo muitos dos seus maridos morridos ou em escaramuças com os israelitas ou na luta ocorrida no ano passado entre o Hamas e a Al-Fatah, a sua arqui-rival.
Aproveitando as tréguas na luta muitos dos líderes do Hamas tornaram-se em "casamenteiros", aproximando os combatentes e as viúvas , provendo dotes e festas de casamento para os muitos que não podem financiar as suas festas de matrimónio."
"O casamento é o mesmo que Jihad" ou guerra santa disse Muhammed Yousef, um membro recém-casado das Brigadas Qassam.
"Com o casamento produzimos uma nova geração que acredita na resistência".
O Jornal New York times avançou ainda:
"Os 300 noivos vestiam calças pretas e camisas brancas, mas não usavam casacos devido a cortes orçamentais.
As noivas estavam sentadas separadamente entre as mulheres mas podiam ser fácilmente identificadas pela sua pesada maquilhagem..."
"Ehab Adas" de 25, um dos noivos referiu que ele sentia falta da luta armada, mas que agora estava ocupado como secretário no ministério do Interior.
Apontou a sua noiva na multidão e pronta e orgulhosamente mostrou a última mensagem que recebera dela no seu telemóvel ....hoje é o meu verdadeiro casamento , disse ela.
Ao que ele lhe respondeu com um "amo-te".
Embora o Hamas já organize este eventos há algum tempo, tem-no agora feito com maior satisfacção, pondo em especial enfáse o casamento das suas viúvas de guerra.
Uma delas Amani Saed , 24 anos, acudiu ao casamento em massa com os filhos do anterior casamento, Rami de 5 e Muhammad de 3.
O pai deles Khaled Saed morreu durante os confrontos na Faixa de gaza entre o Hamas e a Fatah aos 28 anos em Agosto de 2007.
O pai de khaled pediu a mão de Amani para o irmão mais novo de Khaled, Muhammad de 22 anos, que trabalha também no Ministério do Interior.
Amani disse que concordou com alguma reluctância.
"Muhammad é mais novo..mas ele é bom para os miúdos".
Origem do boato sobre o "casamento pedófilo em massa de rapariguitas de 9 e 10 anos
Seria um tanto ou quanto estranho que um jornal reputadamente conhecido como o New York Times não desse particular atenção ao casamento de crianças menores, e sobretudo tratando-se de um jornal norte-americano.
No caso concreto do Hamas isto seria uma auto-derrota política.
No entanto como se pode observar pela leitura do artigo do New York Times as noivas eram adultas e as crianças que foram apresentadas nas fotos eram uma espécie de damas de honor...
Entretanto os rumoures tiveram origem no blog thelastcrusade.org ( a última cruzada - sugere-se aos leitores que carreguem na ligação ao lado e confiram por vós mesmos o teor racista, xenófobo, religiosamente intolerante e anti-muçulmano dos artigos públicados naquele blog), onde o professor Paul L. Williams denunciou a existência de casamentos pedófilos entre integrantes do grupo militante islamita Hamas.
E dalí o boato espalhou-se a outros blogs, muitos deles cristãos, que procuraram explorar a pseudo-notícia apoiando-se também no facto do profeta Maomé ter casado com Aicha, que não deveria ter mais de seis anos.
Muitos blogs também se referiram a alegadas declarações proferidas pelo Aitolla Khomeini, do Irão segundo as quais ele teria dito:
"Um homem pode obter prazer sexual de uma criança tão jovem quanto um bebê.
 Entretanto, ele não pode penetrar; sodomizar a criança não tem problema.
 Se um homem penetrar e machucar a criança, então ele será responsável pelo seu sustento o resto da vida.
 A garota entretanto, não fica sendo contada entre suas quatro esposas permanentes.
 O homem não poderá também se casar com a irmã da garota…
É melhor para uma garota casar neste período, quando ela vai começar a menstruar, para que isso ocorra na casa do seu marido e não na casa do seu pai.
Todo pai que casar sua filha tão jovem terá assegurado um lugar permanente no céu."
É obvio que a alegação acima é bastante pertinente e sem dúvida censurável, embora até ao momento não se possa precisar a sua origem de forma concreta, uma vez que  não foi citada qualquer fonte.
(A fonte dessa alegação é o livro 'Tahrir al Wasilah')
No entanto a alegação em sí é de facto deveras hedionda ....sobretudo à luz de uma cultura como a nossa que pretende defender os direitos da criança a um crescimento físico e emocional que sublimamos justo e humano.
Resposta do Hamas
Um outro site, Cristão, que publica em português, mas obviamente mais razoável procurou dar a conhecer o ponto de vista do Hamas e de igual modo apresentar a evidência disponível de uma forma concisa e menos ambígua:
"O Hamas veementemente negou os rumores da Internet e as matérias publicadas em blogs que denunciam que o grupo Islâmico Palestino realizou uma cerimônia em massa nas quais eram celebrados os casamentos de crianças.
Um vídeo que circula na Internet intitulado “Hamas shocking mass wedding for 450 little girls” (Impressionante casamento em massa de 450 crianças financiado pela Hamas) exibe crianças que aparentam ter de 8 a 10 anos de idade supostamente se casando em uma cerimônia em massa realizada pelo Hamas na última semana.
Pequenas garotas vestindo o que se parecem ser vestidos de noiva foram filmadas chegando em carros e então descendo em um corredor com os noivos.
O vídeo e as imagens relacionadas por sua vez foram responsáveis pela criação de inúmeros posts fazendo declarações semelhantes de que o Hamas estava realizando o casamento de centenas de crianças.
A agência WND recebeu um grande volume de e-mails solicitando à organização de notícias que investigasse o assunto.
O Hamas realmente realizou uma cerimônia em massa na última Quinta-Feira na qual aproximadamente mil palestinos celebraram seus casamentos.
 Muitas das famílias envolvidas disseram que não tinham condições para realizar sua própria festa.
O noivo recebeu um presente de aproximadamente US$ 500,00 do Hamas, que disse que seus trabalhadores também contribuíram com 5% da sua remuneração mensal para contribuir com o presente de casamento.
Ahmed Jarbour, o oficial do Hamas em Gaza responsável pela realização da atividade, disse à WND que a garota mais nova a se casar na cerimônia tinha 16 anos.
 Disse também que a maioria das noivas eram maiores de 18 anos de idade.
Jarbour, assim como dois outros oficiais de alto escalão contactados pela WND, se sentiu ofendido pela sugestão de que o Hamas estava financiando o casamento de crianças.
Ele explicou que as menores vistas no vídeo faziam parte da família do noivo ou da noiva.
 Ele disse que se trata de uma tradição as menores se vestirem de vestidos semelhantes aos das noivas (noivas cristãs-As noivas muçulmanas trajam de negro).
 Disse que as meninas que aparecem no vídeo descendo um corredor com os noivos são membros da família do noivo ou da noiva.
Uma análise do vídeo feita pela WND encontrou algumas garotas, falando em árabe, declarando que iam participar do casamento de um membro da família.
As garotas entrevistadas não disseram coisa alguma a respeito de elas mesmas estarem se casando.
Em múltiplas ligações realizadas para os palestinos que participaram do casamento os mesmos afirmaram que as garotinhas não eram elas mesmas as noivas.
O Hamas, entretanto, celebraram o casamento como uma vitória.
“Nós estamos dizendo ao mundo e à América que eles não podem nos negar a alegria e a felicidade”, Mahmoud al-Zahar, Chefe do Hamas em Gaza, disse aos noivos no evento.
(Ver o Artigo original públicado no site- O Púlpito Cristão)
Pedofília segundo a Wikipédia
A Wikipédia traça a seguinte definição sobre a pedofilia no seu artigo sobre o assunto:
"A pedofilia é classificada como uma desordem mental e de personalidade do adulto, e também como um desvio sexual, pela Organização Mundial de Saúde.

Os atos sexuais entre adultos e crianças abaixo da idade de consentimento (resultantes em coito ou não) é um crime na legislação de inúmeros países.
Em alguns países, o assédio sexual a tais crianças, por meio da Internet, também constitui crime.
Outras práticas correlatas, como divulgar a pornografia infantil ou fazer sua apologia, também configuram atos ilícitos classificados por muitos países como crime.
A Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança, aprovada em 1989 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, define que os países signatários devem tomar "todas as medidas legislativas, administrativas, sociais e educativas" adequadas à proteção da criança, inclusive no que se refere à violência sexual (artigo 19)."
Definição da pedofilia
"Pedofilia é o desvio sexual "caracterizado pela atração por crianças, com os quais os portadores dão vazão ao erotismo pela prática de obscenidades ou de atos libidinosos"(Croce, 1995).
Algumas outras definições de pedofilia requerem uma diferença de idade de no mínimo cinco anos.
Estas, porém, tendem a negligenciar a inclinação sexual pedofílica que desenvolve-se durante a puberdade ou a infância, e que tende posteriormente a diminuir e acabar.
Alguns sexólogos, porém, como o especialista americano John Money, acreditam que não somente adultos, mas também adolescentes, podem ser qualificados como pedófilos.
Na França, esta é a definição dominante.
A idade adulta nas várias culturas
"Muitas culturas reconhecem pessoas como tornando-se adultas em variadas idades.
Por exemplo, a tradição judaica considera como adultos (membros da sociedade) as mulheres aos 12 e os homens aos 13 anos de idade, sendo a cerimônia de transição chamada Bat Mitzvah para as garotas e Bar Mitzvah para os rapazes.
No antigo Egito, o faraó Tutankhamon casou-se quando tinha 10 anos de idade com Ankhsenpaaton que tinha a mesma idade talvez um pouco mais velha e assumiu o trono com cerca de 12 anos.
 No Japão a passagem para a idade adulta é celebrada pelo Seijin Shiki (ou "cerimônia adulta" em tradução literal).
No Ritual de puberdade feminina dos índios nambiquara, logo que tem a sua primeira menstruação, a menina púbere (wa’yontãdu, "menina menstruada") deve permanecer em reclusão em uma casa construída pelos seus pais especialmente para este fim.
Lá a menina deverá permanecer de um a três meses, ao fim dos quais uma grande festa será feita e os convidados de outras aldeias nambiquara virão para retirá-la da reclusão.
A menina (wekwaindu, "menina", "moça") passa, então, a ser considerada uma mulher formada, conforme explicam os Mamaindê"
O casamento de crianças, sobretudo raparigas pré-púberes ao longo da história
Ao longo da história, na antiguidade, na idade média e inclusive já na idade moderna (mesmo nos séculos XVII, XVIII e XIX eram de facto comuns os casamentos de crianças (sobretudo meninas menores de 12 anos de idade com adultos).
É claro que isto à luz da nossa cultura humanista e moderna, nos parecerá todavia errado e muito óbviamente sentir-nos-emos a relacionar e a conotar aquelas uniões matrimoniais com o fenómeno (doença de ordem psíquica da Pedofilía).
Mas é necessário relembrarmo-nos de que eventos e acontecimentos, inclusive como o casamento de Maomé com Aicha eram um lugar comum em toda a Peninsula Arábica e nas culturas do mundo antigo.
Não há de facto menção ou registro histórico que sustente que o profeta do Islão tivesse uma predilecção ou uma preferência sexual específica por crianças.
A par dos casamentos de crianças era igualmente comum o trabalho infantil, as crianças entravam bastante cedo no mercado de trabalho, e com menos de 16 anos eram vistos pela sociedade em que viviam como adultas.
É interessante que mesmo alguns dos nossos reis portugueses casaram bastante cedo, e alguns deles foram coroados reis em tão tenra idade como 14 anos, e alguns deles governaram de forma efectiva....
-Porque é que alguém que sente desejo sexual por crianças é considerado clínicamente doente?
"A puberdade e sexualidade surgem de modos diferentes para o sexo feminino e masculino.
Enquanto para as meninas ocorre um crescimento rápido e curto, para os meninos o crescimento é lento e prolongado.
É por isso que geralmente as meninas desenvolvem-se fisicamente e mentalmente mais cedo e mais rápido que os meninos.
Quando uma pessoa do sexo masculino ou feminino sente-se atraído sexualmente por uma menina ou menino pré-púbere é considerado doente porque esta ainda não tem o corpo de uma mulher e o menino não tem as características de um homem."
Quando é que adultos e adolescentes se podem relacionar sexualmente e como são reguladas por lei estes relacionamentos?
"A relação sexual entre adultos e adolescentes é regulada pelas leis de cada país referentes à idade de consentimento.
 Alguns países permitem o relacionamento a partir de uma idade mínima (12 anos em Angola, Filipinas e México, 13 na Espanha e Japão, 14 no Brasil, Portugal, Itália, Alemanha, Áustria e China, 15 na França, Suécia, Dinamarca e Grécia, 16 em Noruega, Reino Unido e Holanda)."
Doença e diagnóstico da pedófilia
"A Classificação Internacional de Doenças (CID-10), da Organização Mundial da Saúde (OMS), item F65.4, define a pedofilia como "Preferência sexual por crianças, quer se trate de meninos, meninas ou de crianças de um ou do outro sexo, geralmente pré-púberes".
(ver artigo wikipedia- Pedofilia)
Maioridade segundo a definição da wikipedia
Para se ficar com uma ideia generalista do que é a maioridade do ponto de vista da maioria dos códigos júridicos  a wikipedia dá-nos a seguinte definição:
"Em direito, maioridade refere-se à idade em que a pessoa física passa a ser considerada capaz para os atos da vida pública (ou seja, para exercer direitos próprios de adultos, contrair obrigações e ser responsabilizado civil e penalmente por suas ações).
Contrapõe-se à minoridade legal.
É comum utilizar o termo menor de idade ou maior de idade representando aqueles que estão na menoridade ou maioridade respectivamente."
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Maioridade)
Casamento de menores na lei portuguesa
OArtigo 1576 do código Cívil Português- dá a noção de casamento
o artigo 1601 indica os impedimentos e dirimentes absolutos.
Este artigo indica que a idade dos nubentes não poderá ser inferior a 16 anos.
No artigo 1612, refere-se que o consentimento dado ao casamento de menor de 18 e maior de 16 deverá ser dado pelos pais ou por um tutor legal.
No entanto na alínea dois daquele artigo o procurador do registo cívil poderá suprir aquelas autorizações se o menor possuir suficiente maturidade física e psíquica.
A lei portuguesa emancipa ou equipara o maior de 16 anos e menor de 18 anos que contraia matrimónio passando este a ser para os efeitos legais considerado adulto e legalmente responsável....
O casamento de crianças no mundo muçulmano
Muito embora este tal como pudemos ver não tenha sido o caso dos casamentos que se realizaram em Gaza em 2008 é importante referir que esta situação existe em algumas comunidades muçulmanas mais fechadas tais como acontece por exemplo em países como a Somália, a Nigéria e o Afeganistão.
Este artigo pretendeu apenas lançar alguma luz e clarificar apelando à verdade dos factos sobre um rumor infundado que tem prosperado pela internet.
Um próximo artigo baseado numa outra reportagem do mesmo jornal New York Times (The Price of a Bride) procurará referir um caso real acontecido no Afeganistão e desenvolverá alguns outros casos ocorridos noutras partes do mundo.
Artigos Relacionados
-O casamento infantil no mundo

12 comentários:

Alexandre disse...

Um absurdo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

SERGIODAUDE disse...

O casamento de crianças e de menores de 16 anos é um absurdo.Seja no mundo muçulmano, em Portugal, ou em qualquer outra parte do mundo. No caso desta história, pareceu-me importante que se repusesse a verdade uma vez que houve um aproveitamento da parte de alguém que gere um blog nos Estados Unidos que faz constantes apelos á violência contra minorias étnicas para dessiminar uma mentira sobre algo que não aconteceu e que teria sido, caso acontecesse por um jornal respeitável como o New York Times.
Aliás esse é o caso relatado pelo artigo relacionado "o casamento infantil no mundo" cujo link se encontra no fim do artigo, que começa por citar casos de casamentos infantís ocorridos no Afeganistão.
O referido artigo segue dando a conhecer também os casamentos ciganos, que como será do conhecimento de alguns portugueses mantém também uma tradição de casamentos infantís...
Sou da opinião que as pessoas deverão casar após a idade da emancipação legal, a partir dos dezoito anos quando já são considerados legalmente adultos e podem escolher por sí próprios o seu parceiro e também porque nessa idade o jovem já terá concluído os seus estudos académicos e secundários.
A lei Portuguesa no entanto permite casamentos a partir dos 16 anos (que poderão ocorrer em situações especiais, o que emancipa automáticamente os jovens...

SERGIODAUDE disse...

Em relação ao ayatollah Komeini esse no seu tempo era conhecido como um louco fundamentalista pelas suas opiniões despropositadas, embora os autores dos vários artigos públicados sobre o assunto do suposto casamento de crianças em Gaza se refiram áquela alegação atribuída àquele líder iraniano, mas não indiquem qualquer fonte ou texto que evidencie aquele discurso.
Adianta-se que o dito casamento de crianças não ocorreu, e dí-lo o New York Times, o jornal de maior tiragem daquele estado norte-americano e sobejamente conhecido no mundo, jornal que o teria dito em primeira mão.
Há um link para o artigo original em Inglês, cujo título diz que se tratou de um casamento de viúvas de guerra.
Não me parece que aquelas crianças casassem ainda por cima em segundas núpcias...
É importante que quem informa, o faça com rigor não difundindo uma mentira como o fez o sr.Paul L. Williams, editor do blog thelastcrusade.org.
Aquele blog por exemplo ataca a emigração de cidadãos mexicanos e de outra origens que afluem aos estados do sul dos estados unidos, e ataca os muçulmanos.
Chega mesmo a exibir uma capa da revista Time de 1939, na sua página, que refere Adolf Hitler como o homem do ano de 1939.
Em 1939, Hitler era apenas conhecido pela sua propaganda ideológica, ainda não era conhecido pelo massacre de milhões de pessoas ou responsável pela Guerra que se seguiu....mas não estamos em 1939, estamos em 2010 e sabemos e conhecemos essas verdades históricas e relacionamos a figura de Adolf Hitler com o racismo, que não é nada de construtivo ou de bom.
Isto só a título de exemplo...
No caso do artigo sobre o casamento infantil no Afeganistão, o New York Times apresenta factos que sustentam o que diz...

Kellyo de Oliveira Lima disse...

O que acho estranho é porque as fotos das noivas viúvas não aparecem ao lado dos seus futuros maridos, só as ditas "damas de honra" dentro do contexto deste site?

SERGIODAUDE disse...

Os fotos que publiquei são as que estavam disponiveis na internet...
No entanto lendo a notícia do New York Times, um jornal respeitável nos meios de comunicação americanos e mundiais poderá lêr-se:
"The 300 grooms were dressed in black pants, white shirts and colorful ties but no jackets, because of recent budget cuts. The brides, sitting separately among the women, wore head scarves and black robes over their evening dresses but were easily spotted by their heavy makeup. The couples had all signed marriage contracts before the event. "

http://www.nytimes.com/2008/10/31/world/middleeast/31gaza.html?_r=2
ou seja o mesmo que o que se segue em português:
"Os 300 noivos vestiam calças pretas e camisas brancas, mas não usavam casacos devido a cortes orçamentais.
As noivas estavam sentadas separadamente entre as mulheres mas podiam ser fácilmente identificadas pela sua pesada maquilhagem..."
"Todos os casias assinaram contratos pré-nupciais antes dos casamentos".

SERGIODAUDE disse...

The brides, sitting separately among the women, wore head scarves and black robes over their evening dresses but were easily spotted by their heavy makeup.
AS NOIVAS SENTADAS SEPARADAMENTE ENTRE AS MULHERES USAVAM, VESTIAM, TRAJAVAM CASCOÍS PARA A CABEÇA/HIJABS E ROBES PRETOS SOBRE OS SEUS VESTIDOS DE NOITE MAS ERAM FACILMENTE RECONHECIDAS PELA SUA PESADA MAQUILHAGEM..ou seja eram as senhoras vestidas de preto nas fotos

Anónimo disse...

ISSO É UM ABSURDO,ESSES CARAS DEVEM TER VERGONHA...SÃO CRIANÇAS INOCENTES...Q VERGONHA!!!!!!!!

SERGIODAUDE disse...

Resumindo e concluindo : as meninas que aparecem nas fotos vestidas de branco não eram as noivas dos homens que aparecem nas fotos mas sim damas de honor... as noivas vestem-se de preto segundo a tradição islâmica e as viuvas essas sim vestem-se de branco

Anónimo disse...

Será que as pessoas são burras ou não sabem ler as que estão casndo são as que estÃO de PRETOOOOO

Anónimo disse...

só hoje tomei conhecimento dessa notícia, pesquisei muito pra ver se era verdade, muitos site negam que é um casamento pedófilo, mas CONCLUIÍ QUE É SIM UM CASAMENTO PEDÓFILO! ESSAS CRIANÇAS SÃO AS NOIVAS, NÃO VEM COM ESSA HISTÓRIA DE Q SÃO DAMINHAS! TEM VÁRIOS VÍDEOS DA FESTA E NÃO APARECE NOIVA DE PRETO NENHUMA! ELAS, AS CRIANÇAS Q ESTÃO CASANDO!

Anónimo disse...

OLHEM ESTE VÍDEO DA CERIMÔNIA, ESSAS CRIANÇAS QUE ESTÃO CASANDO COM OS HOMENS ADULTOS!
http://www.youtube.com/watch?v=CNsAd6AV_c0

daniele macile da silva disse...

se isso de fato ocorrer os paízes devem se unir contra o paíz q exercer a prática interferintdo de qualquer maneira!ponhamo-nos no lugar dessas meninas ou pensemos em nossas filhas não podemos admitir nem permitir, nem q nos custe o q custar!!!!

Enviar um comentário